As deliciosas "Histórias de Évora"

As deliciosas "Histórias de Évora"

José Pedro Araújo
Historiador, cronista e romancista

Elmar Carvalho era mais conhecido como um poeta e cronista de sensibilidade apurada e grande verve criativa. Com o lançamento do seu primeiro romance “Histórias de Évora”, obra recebida pela crítica com efusivos e rasgados elogios, mostrou que a sua pena era muito mais eclética e inventiva do que muitos imaginavam ao enveredar pela prosa ficcional com competência e muita desenvoltura. Entretanto, mesmo sendo o seu primeiro trabalho nessa seara, não me surpreendi com a belíssima história que ele construiu (ou com as histórias que ele construiu, uma vez que “História de Évora” é uma teia de várias narrativas entrelaçadas em uma só). Surpreso mesmo (além de extremamente honrado) fiquei foi com o convite do autor para que eu fizesse a orelha do seu livro, que como todos sabem, é a parte primeira, de qualquer obra, que se lê. E que termina por se transformar em um chamariz, uma isca, no bom sentido.

Foi por esta razão que considerei como um tremendo desafio apor os rabiscos da minha pena pouco experiente em uma obra que será para sempre louvada por todos os que tiverem a sorte de tê-la em mãos. Mas, de qualquer maneira, enfrentei o desafio e pus-me em ação para fazer o melhor que eu pudesse. E saiu o que se viu.

A obra em questão, além de todos os atributos que uma plêiade de críticos literários já descreveram, é de leitura agradável e viciante, pois obriga o leitor a dedicar algumas horas a mais do que pretendia gastar com o seu ócio planejado.

Mas vou deixar para o próprio autor a tarefa de explicar, em algumas poucas palavras, o que ele produziu, a obra que saiu da sua imaginação engenhosa e inovadora:

“Histórias de Évora é um romance de formação, e conta histórias da vida de Marcos Azevedo, o protagonista, desde a sua adolescência, ocorrida na primeira metade dos anos 1970, e de sua juventude até o início de sua maturidade, com a narrativa em terceira pessoa”.

“Mas também conta episódios de outras personagens, através de um narrador em primeira pessoa, no caso Marcos, poeta e escritor”.

“Não se trata da Évora portuguesa, mas de uma cidade fictícia, misto de Parnaíba e Campo Maior dos anos 60, 70 e 80 do século passado”.

“Como pano de fundo, é contado um pouco da História do Piauí, sobretudo a decadência do extrativismo econômico e a derrocada dos velhos cabarés”.

Observação importante:

Histórias de Évora se encontra à venda nos seguintes pontos comerciais:

Em Teresina: livrarias Entrelivros, Universitária, Anchieta e Leitura.

Em Parnaíba: Banca do Louro (na Praça da Graça).

Em Campo Maior: Banca de Dona do Carmo e Livraria Santa Barbara.