elmarcarvalho@uol.com.br|Envie uma mensagem|Saiba mais



Blog de elmar

As deliciosas "Histórias de Évora"

As deliciosas "Histórias de Évora"

José Pedro Araújo
Historiador, cronista e romancista

Por: elmar

No galope do martelo e outros galopes

No galope do martelo e outros galopes

Elmar Carvalho

Por: elmar

Dois livros sobre o Piauí

Elmar Carvalho

Recebi, ofertados por seus autores, os livros Engenharia Piauiense e História do Piauí: passageiro do passado.

Por: elmar

O rio de Humberto Guimarães

Após o término da solenidade de sábado passado, dia 10, no auditório da Academia Piauiense de Letras, em que foram lançados os livros O prestígio do Diabo, de Assis Brasil, Modernismo & Vanguarda, 2ª série, do professor M.

Por: elmar

A saga de uma longa caminhada Elmar Carvalho

Na última reunião da Academia Piauiense de Letras, o confrade Celso Barros Coelho repetiu o que já me havia dito sobre o meu romance Histórias de Évora: a importância de um bom título. Com efeito, a escolha de um título feliz pode despertar a curiosidade do leitor em potencial e, assim, atraí-lo para a leitura do texto.

Por: elmar

Jaime da Paz, um varão de Plutarco

Nasceu no lugar São Domingos, zona rural de Campo Maior, em 22 de abril de 1922. De uma prole de onze irmãos, da qual era o antepenúltimo. Filho de José Gregório da Paz e Francisca de Sousa Frota. Aos seis anos de idade já era órfão de pai e mãe, quando passou a morar com seus pais adotivos: José de Deus e Silva (Cazeba) e Cândida Paz (Sicândida), sua tia.

Por: elmar

Depoimento sobre José Elmar de Melo Carvalho

Alcenor Candeira Filho *

Por: elmar

O TALENTO ESCULTÓRICO DE BRAGA TEPI

O TALENTO ESCULTÓRICO DE BRAGA TEPI

Elmar Carvalho

Por: elmar

O Juiz Raimundo Campos

Em virtude da reforma que será feita no prédio do Fórum Dr.

Por: elmar

Os poemas e os peixes de Dom Rubervam

Nesta madrugada sonhei que participava de um encontro de literatos, sobretudo poetas.  Só gravei do sonho o momento em que o poeta Rubervam Du Nascimento discursava. Não recordo suas palavras. Eu o via em carne e osso, mas era como se o visse através de um televisor.

Por: elmar