elmarcarvalho@uol.com.br|Envie uma mensagem|Saiba mais



Blog de elmar

Quem te ensinou a voar?

José Francisco Marques (*)

Remoto-me ao início dos anos 70, mais precisamente após a conquista do nosso escrete canarinho a tão cobiçada taça Jules Rimet. A nossa seleção (considerada ainda hoje por experts como a melhor de todas as seleções),

Por: elmar

Almas, Bitupitá ou pancada de vento

Nesse meu passeio a Jericoacoara, como dito no registro anterior, passei pelo antigo povoado de Barroquinha, que não é mais nenhuma “barroquinha”, se é que já o foi. Ao contrário, é atualmente uma progressista cidade, com bela igreja, florescente comércio, e é cabeça de Comarca.

Por: elmar

Passeio a Jericoacoara

Cedo da manhã deste domingo, segui com destino a Jericoacoara, no Ceará, em companhia de minha filha Elmara e do amigo Canindé Correia. Trinta anos atrás, pilotando uma motocicleta, fiz parte desse percurso; mais precisamente, o fiz até a cidade de Barroquinha,

Por: elmar

Releituras e releituras

Em registro do dia 4 de setembro de 1928, leio, no Diário Secreto de Humberto de Campos, publicado pelo Instituto Geia em 2010, que um dos grandes desejos do grande poeta Gonçalves Dias, quando criança, era possuir um exemplar do livro História do Imperador Carlos Magno e dos doze pares de França.

Por: elmar

Em Barra Grande, na “Maison Fonteneles”

Combinamos, eu e o Canindé Correia, visitar o Jonas Filho Fontenele de Carvalho, que se encontra de férias em sua casa, em Barra Grande. Logo cedo, encontramos o Vicente de Paula (Potência), irmão da Dulce, mulher do nosso anfitrião,

Por: elmar

Dois Sonhos

Tempos atrás, comecei a escrever um livro sobre meus sonhos. Abandonei essa ideia, porque os sonhos de que me recordava ou não eram tão frequentes ou eram banais, sem maior serventia para as letras. Estas sempre buscam a criatividade, a originalidade, o ineditismo, o inaudito e até mesmo o exotismo.

Por: elmar

Carlos Said – Mestre do futebol e da amizade

Após a melancólica, mas de certa forma já esperada, derrota do Santos para o Barcelona, pelo vexatório placar de quatro a zero, que ainda poderia ter sido pior, não fossem duas ou três magníficas defesas do goleiro santista, e dois chutes barceloneses terem acertado a estaca da trave, resolvi ligar para o jornalista Carlos Said.

Por: elmar

Lembrança de Batista Costa

Neste final de tarde chuvosa e fria de Regeneração, evoco a figura de João Batista Costa, sobre o qual me referi no último registro deste diário. Quando meu pai assumiu a chefia da ECT em Parnaíba, no primeiro semestre de 1975, ainda o encontrou como funcionário dessa repartição.

Por: elmar

O Destino e a Relatividade

Elmar Carvalho

No ardor e na bisonhice de meu final de adolescência, no segundo semestre de 1975, fui, algumas vezes, com meu pai a reuniões no salão paroquial da igreja de Fátima, perto do chamado arsenal, antiga sede da Polícia Militar em Parnaíba.

Por: elmar

Crítica literária - Minha despedida

Assim como o craque envelhecido deixa de jogar futebol, e pendura as chuteiras, resolvi, metaforicamente, pendurar a minha caneta de aprendiz de crítico literário, que tenho sido algumas vezes, ao longo de minha vida literária.

Por: elmar