Rota das emoções: três destinos em um roteiro plural no Nordeste

Lençois Maranhenses. Crédito: Embratur

Partindo de São Luis (MA), Fortaleza (CE) ou do novo aeroporto de Jericoacoara (CE), o turista pode explorar as belezas naturais de uma rota cheia de atrativos que passam pelos parques nacionais dos Lençóis Maranhenses e Jericoacoara, até chegar a Área de Proteção Ambiental do Delta do Parnaíba (PI). O caminho de muita aventura, também proporciona ao visitante experiências gastronômicas e uma vivência cultural em comunidades cercadas por dunas e um estilo de vida peculiar.

O roteiro, apoiado pelo Ministério do Turismo, é ideal para quem busca o turismo de experiência e leva o viajante a percorrer 14 municípios. Começando o roteiro de Barreirinhas conhecido como “Portal dos Lençóis Maranhenses”, o turista se depara com uma extensa área de dunas móveis, repleta de lagoas, onde chega-se em carros tracionados.

Ao pôr-do-sol, as dunas brancas ganham um tom dourado. Margeando os lençóis, o passeio de voadeira pelo rio Preguiças é outra atração para explorar os lenções por outro ângulo com paradas providenciais nos povoados de Vassouras (banho), Mandacaru (farol), e as praias de Caburé e Atins, já na foz do rio. A 1ª etapa dessa tripla emoção também inclui as cidades de Santo Amaro e Paulino Neves ,com muita aventura pelas dunas, praias e lagoas. Na outra extremidade desse paraíso natural está Tutóia com uma extensa praia deserta.


 Delta do Parnaíba. Crédito: Embratur

Ainda no Maranhão, Araióses abre o caminho para o Delta do Parnaíba, Área de Proteção Ambiental com dezenas de ilhas, na divisa com o Piauí. O ecoturismo está presente na paisagem exuberante das ilhas, dunas, lagoas e rios propícios para banhos, passeios de barco e atividades como canoagem, caiaque e esportes à vela. Os passeios saem de Ilha Grande e da bucólica e histórica Parnaíba, a “Capital do Delta”. Mais duas cidades litorâneas piauienses integram o roteiro de emoções com as lagoas de Luis Correia; praias primitivas, entre elas, a de Barra Grande, em Cajueiro da Praia, onde fica o novo “maior cajueiro do mundo”; rios e manguezais que preservam espécies como o Peixe-Boi e o Cavalo-Marinho.

As emoções continuam no Ceará, começando por Chaval e Barroquinha. Em Camocim, o casario colonial enriquece a paisagem natural do rio Coreaú banhando a Ilha do Amor. São 62 Km de praias emolduradas de coqueiros, falésias, manguezais, lagoas e dunas. Um cenário onde predominam a pesca artesanal e atividades esportivas praticadas pelos turistas que desbravam o extremo oeste do litoral cearense.


Jericoacoara. Crédito: Embratur

Cruz e Jericoacoara, onde chega-se de jardineira pelas dunas, completam a rota com passeios pelas dunas, Pedra Furada e o relaxante balançar das redes submersas nas lagoas Grande e Paraiso. De quadriciclo, bugue, 4x4 ou a cavalo o turista chega aos principais atrativos e a Tatajuba ou Preá nos extremos de Jericoacoara. Acompanhe o sol se pondo no mar e curta a noite!

O litoral desse trecho da costa do Nordeste é próprio para o surf, windsurfe e kitesurf, entre outros esportes náuticos praticados ao sabor dos ventos, inclusive nas lagoas. O cenário de sol e praia integra a natureza aos prazeres da deliciosa culinária regional. O turista ainda viaja pela fascinante cultura nordestina e pelo artesanato diferenciado dos três estados. São peças de fibras vegetais (buriti, tucun, taboa, coco, carnaúba e sisal), madeira, cerâmica, renda de bilros, bordados, couro, sementes e búzios. Uma viagem instigante e deliciosamente emocionante!

 

Fonte: Ministério do Turismo

Por: redacao