Polícia esclarece crime e prende envolvidos

Em coletiva realizada na tarde desta quinta-feira (08), na Central de Flagrantes em Parnaíba o Delegado Eduardo Aquino, titular da Delegacia de Combate ao Homicídio, Tráfico de Drogas e Latrocínio (DHTL) e o Delegado regional de Parnaíba, Eduardo Ferreira apresentou cinco dos sete acusados de participação no homicídio registrado na madrugada da ultima sexta-feira (2), as vítimas o professor Paulo Lima Caldas e David Soares Maciel, foram mortos e tiveram seus corpos partidos ao meio, e as cabeças decapitadas, em seguida enterrados em uma cova rasa no terraço de uma residência na Rua Anhanguera no bairro Piauí em Parnaíba.

Foram apresentados Luís Carlos Evangelista Guedelha, o "Lulu", de 26 anos que encontra-se preso na penitenciaria, o menor J.V.G.S. de 17 anos, Francisco de Assis Evangelista Guedelha, de 32, que também encontra-se preso na penitenciaria, Franciely Oliveira Pereira, 23 anos, Geovane Alisson de Sousa (está foragido), Francisco de Assis Junior, o “Junior Scooby”, de 28 anos e Antônio Carlos Rodrigues dos Santos Junior (está foragido).

Cinco presos e um menor apreendido

Em depoimento o menor J.B.M disse que após o crime deixaram os corpos largados em um dos quartos da residência e voltaram para o terraço como se nada tivesse acontecido e continuaram a usar entorpecentes. Esperaram amanhecer pra saber que providencias iam tomar. “Junior Scooby” que chegou à casa pela manhã deu a ideia de cavar uma cova, que seria mais fácil se os corpos fossem cortados.

O “Lulu” que é o dono da boca chegou ao local também só pela manhã e se deparou com a situação, onde voltou na casa dele e pegou a pá e enxada para realizar a ocultação dos cadáveres, dai por diante os criminosos se revezando no retalhamento dos corpos, enquanto um cortava o outro ficava vigiando o portão.

Ainda de acordo com o depoimento o delegado Aquino disse que o menor relatou que “brincou” com a cabeça de um deles `”ele pegou a cabeça pelos cabelos e mexendo na boca (como se fosse à boca falando) a seguinte frase: “olha eu não vou mais usar crack”`.

 

Fonte: jornaldaparnaiba