Pesquisadores parnaibanos criam mapa poético da cidade

Foto: PMP

Morando longe de Parnaíba, os pesquisadores Augusto Santos e Breno Reis decidiram organizar um projeto dedicado à cidade, unindo a nostalgia ao interesse pela poesia parnaibana. Assim surgiu o Parnaíba Revisitada, uma coleção de poemas conectados à cidade, na forma de site e mapa interativo.

"Nos passeios que costumamos fazer quando retornamos a Parnaíba, veio a ideia de associar esses percursos urbanos às poesias que retratavam os locais pelos quais passamos no dia a dia", conta Breno. Os poemas reunidos são, em sua maioria, da chamada Geração Mimeógrafo, que compreende poetas atuantes na publicação independente e na imprensa alternativa durante as décadas de 1970 e 1980.

O principal critério para a seleção dos textos, como explica Augusto, foi o vínculo explícito com os espaços e as imagens da cidade: "Um poema pode nos impactar de diferentes maneiras. Quando ele se passa num local que faz parte do nosso cotidiano ou que fez parte da nossa infância, parece que amplifica ainda mais o seu poder de identificação". O título do projeto Parnaíba Revisitada se inspira no poema homônimo de Elmar Carvalho, presente no mapa:

"Pelos labirintos
de antigas ruas perdidas
caminho sem destino
e mergulho no temporal
das cavernas inescrutáveis
do deus Cronos
e o que se chama passado
intacto resgato
num pequeno pedaço de um
velho azulejo desbotado."

Colecionadores de literatura piauiense e parnaibana, os criadores do projeto pretendem divulgar à população as publicações locais que tiveram edições únicas, já esgotadas, difíceis de encontrar até mesmo nas bibliotecas. "A proposta do Parnaíba Revisitada é acessar as temporalidades passadas da cidade, que permanecem gravadas nas ruas, nas ruínas, no rio, nas fachadas arquitetônicas, e, sobretudo, na produção poética local", declaram.

Serviço
Parnaíba Revisitada
https://parnaibarevisitada.tumblr.com

Edição: Proparnaiba.com